Ingram Micro Cloud Marketplace agora oferece o IBM® SPSS e o IBM MaaS360 with Watson

As novas soluções da IBM somam-se ao portfólio da plataforma de computação na nuvem da Ingram Micro Brasil, que já é o mais completo do mercado

Em março, quando o Ingram Micro Cloud Marketplace atingiu a marca histórica de 100 mil seats no país, a Ingram Micro Brasil antecipou que a plataforma continuaria crescendo e que novas soluções entrariam no portfólio ao longo do ano. Promessa cumprida, e em grande estilo: a partir dessa semana, o software estatístico líder de mercado, IBM SPSS e a plataforma mais inteligente de proteção de endpoint do mundo, IBM MaaS360 with Watson, também estão disponíveis no marketplace da Ingram Micro.

Com a oferta do SPSS e do MaaS360, reforçamos nosso compromisso de sempre ter e oferecer a solução cloud que melhor se adeque à necessidade dos clientes de nossos parceiros”, diz Flávio Moraes Jr., diretor de Cloud e Soluções Digitais da Ingram Micro Brasil. Ele lembra que o Ingram Micro Cloud Marketplace é uma solução multivendor, única do mercado a ter um leque tão variado e completo de produtos, e que aumentar as opções de soluções é um objetivo constante. “Já provamos que nossa plataforma tem grande capacidade e agilidade para suportar qualquer demanda e vamos seguir recebendo novos produtos, aumentando as opções de soluções para os nossos parceiros e entregando uma excelente experiência para seus clientes com serviços escaláveis, pagos pelo uso e aprovisionados automaticamente”, afirma Moraes Jr.

Segundo a IDC, até 2020, a transformação digital responderá por 40% dos gastos com TI, e cloud é estratégico nesse contexto. Assim, para a IBM, que tem tecnologias para todos os perfis de clientes fazerem essa jornada de reinvenção digital, o Ingram Micro Cloud Marketplace é uma grande oportunidade. “A união do portifólio de ofertas de IBM Cloud e Solutions ao marketplace da Ingram irá auxiliar os nossos canais a ter mais agilidade na construção e delivery de soluções as a service para seus clientes. Trata-se de uma ferramenta fantástica para alavancar as vendas, aumentar o alcançe e simplificar o nosso go-to-market”, diz Marcela Vairo, diretora de Parcerias Comerciais da IBM Brasil.

O IBM SPSS soluciona diferentes problemas de negócios e de pesquisas, e oferece um amplo conjunto de recursos, incluindo análise ad hoc, teste de hipótese e relatórios, facilitando o gerenciamento de dados, a seleção e execução de análises e o compartilhamento de seus resultados. Software estatístico líder de mercado, o IBM SPSS também conta com recursos como estatísticas bayesianas, gráficos prontos para publicação e integração aprimorada com software de terceiros, e ainda oferece uma edição base com add-ons opcionais que expandem seus recursos de análise preditiva.

Já o IBM MaaS360 with Watson é a única tecnologia de gerenciamento e segurança de endpoints, tais como smartphones, tablets, laptops e wearables ,que se apoia nas capacidades de inteligência artificial do Watson ™ para ajudar os líderes de TI e de Segurança a ter a visibilidade correta dos incidentes de segurança envolvendo os endpoints: (1) qual foi o incidente, (2) o que ele pode potencialmente impactar e (3) qual a medida que deveria ser tomada para mitigar esse risco.

Além do o IBM SPSS e do IBM MaaS360 with Watson, o Ingram Micro Cloud Marketplace oferece outras soluções adequadas a todos os portes de clientes, desde um pequeno comércio até grandes empresas. Fazem parte do portfólio aplicações empresariais (Autodesk Software Collections, Windows 10 e Microsoft 365), serviços de ativação em nuvem (BitTitan – MSP Complete), soluções de comunicação e colaboração (Microsoft Office 365 e Dropbox), de segurança (Microsoft – Enterprise Mobility Suite, Symantec Endpoint Protection Cloud e Trend Micro – Cloud-Based Security), de infraestrutura (IBM – Bluemix,  Ingram Micro Cloud Orchestrator e Microsoft Azure), e de recuperação e backup (Acronis Backup Cloud).

Para saber mais sobre o Ingram Micro Cloud Marketplace, visite o site https://br.cloud.im/.

Ingram Micro Brasil e a VERTIV ampliam oportunidades e negócios para o Canal de TI

A VERTIV, que desenvolve e fabrica tecnologias inovadoras e inteligentes para suportar os crescentes mercados de computação em nuvem, infraestrutura e outras aplicações críticas, passa a ter seus produtos distribuídos pela Ingram Micro Brasil. A parceria reforça o portfólio de soluções da distribuidora e garante alto grau de sofisticação e customização de projetos para usuários finais

A Ingram Micro Brasil e a VERTIV (antiga Emerson Network Power) acabam de anunciar uma parceria que vai movimentar o segmento de soluções de energia de TI, contando com um portfólio que atende os mercados de varejo (volume) e grandes projetos corporativos de missão crítica. Com a nova parceria, a subsidiária da maior distribuidora mundial de TI amplia seu portfólio com uma das marcas mais reconhecidas e respeitadas do segmento de missão crítica, já que a VERTIV  possui um conjunto completo de soluções, que vão desde equipamentos de pequeno e médio porte para o mercado de varejo até sistemas complexos para projetos corporativos de grande porte.

Os revendedores Ingram Micro encontrarão linhas de produtos como: nobreaks (UPS), réguas inteligentes, KVM (tecnologia de virtualização open source baseada em Linux®), console serial, gabinetes e racks padrão e o Smart Cabinet (racks inteligentes), todos com  recurso para a gestão remota. “Não falta à VERTIV cases de sucesso nos segmentos de TI e infraestrutura, com os clientes mais exigentes das verticais de saúde, indústria, governo, entre outros. Somado este portfólio à experiência da Ingram Micro, que possui mais de 20 anos no Brasil e uma rede de revendedores nacionais que atendem as regiões mais distantes, temos certeza de que faremos muitos e bons negócios”, diz Alexandre Nakano, diretor de Negócios de IoT da Ingram Micro Brasil.

Para a VERTIV, a Ingram Micro é fundamental para o êxito de sua estratégia. “Estamos implementando globalmente o modelo de venda / negócios através de canais parceiros.  A distribuidora nos ajudará a entregar soluções consistentes e atrativas e ampliar significativamente nossa presença no Brasil”, explica Fábio Noaldo, gerente de vendas de Canais da VERTIV.

Para a Ingram Micro, o portfólio e os objetivos da VERTIV estão conectados com a operação. “Entendemos que temos duas verticais para negócios, sendo Volume-SMB (vendas constantes e websales), e Advanced Solutions, que habitualmente explora o cross selling em projetos corporativos. Nossa estratégia para a VERTIV está ancorada nos pilares da  manutenção de estoque, venda consultiva e, principalmente, apoio ao canal. Esta parceria garantirá uma boa base de relacionamento com a fábrica, capacitação e atualização tecnológica para as equipes dos canais. Acreditamos que explorando o conceito cross-selling entre várias marcas de TI, o canal aumentará seu leque de oportunidades, o que permitirá uma perfeita sinergia entre as marcas, gerando o que chamamos de cross-sales, e fará com que as vendas passem a ser consultivas, aumentando a experiência do cliente com as marcas do portfólio. Esse mix de marcas em um mesmo projeto é chamado de turn-key”, afirma o diretor de Negócios de IoT da Ingram Micro Brasil. Nakano lembra também que a sustentação da parceria como um canal VERTIV está embasada no VERTIV PARTNER PROGRAM, que conta com incentivos como rebate, MDF para turbinar as ações de marketing, registro de oportunidades da ferramenta, treinamentos exclusivos, entre outros.

Case de sucesso: Preparados para o futuro

A atualização do parque de servidores da Brasil Terminal Portuário foi um grande sucesso. Hoje, a empresa oferece uma operação ainda mais tecnológica e assertiva para seus clientes

Se modernizar e acompanhar as tendências. Dois comportamentos determinantes para empresas que desejam continuar a oferecer uma operação impecável a seus clientes. Fato que sempre esteve muito claro para a Brasil Terminal Portuário (BTP). No início de 2017, o operador foi em busca de um projeto de inovação. O plano não era só substituir seus servidores antigos, mas investir nos equipamentos e experiências mais modernas à disposição.

O objetivo era fazer um verdadeiro upgrade tecnológico no ambiente de tecnologia da informação da empresa. “Baseado nisso, estudamos todas as possibilidades e decidimos trabalhar com um ecossistema totalmente virtualizado e orquestrado pelo Stretched Cluster”, comenta Fabiana Morgante de Alencar, gerente de TI da BTP. Ela explica que, com essa arquitetura, seria possível garantir aos usuários um ambiente protegido pela alta disponibilidade e forte poder de processamento e armazenamento de dados.

BRAÇO DIREITO

Para tirar esse objetivo do papel, a BTP foi a procura dos parceiros ideais. De acordo com Fabiana, o princípio fundamental da empresa é criar relações de parcerias duradouras. Com base em confiança e comprometimento com o sucesso do projeto.

Depois de avaliar muitos cases de sucesso e experiências do mercado, a Gerente de TI explica que a escolha foi um grande diferencial para que o projeto fosse bem-sucedido. “Imprevistos acontecem, e o que faz a diferença é o tempo de resposta e assertividade para tratar cada caso”, explica.

Uma das escolhidas foi a EM2 IT Solutions. A empresa foi responsável por orquestrar, de ponta a ponta, a implementação do projeto de atualização do parque de servidores da Brasil Terminal Portuário. Vlamir Mattiolli Junior, Account Executive da EM2 IT, lembra que o processo começou com o entendimento da real necessidade do cliente. “Trabalhamos para compreender a capacidade computacional da BTP e propomos a modernização necessária para agora e para as demandas do futuro”, diz. Dentro desse contexto, eles recomendaram o que havia de mais adequado para essa atualização dentro do portfólio da Dell EMC, o fornecedor do projeto. “Após o processo de compra e chegada dos equipamentos ter sido concluído, iniciamos a migração”, conta Fabiana. Aqui, o objetivo era fazer a implementação de forma que tudo conversasse entre si, seguindo o que foi desenhado no início do projeto.

O grande desafio para manter esse padrão foi o fato de a empresa ter uma operação que funciona 24 horas e sete dias na semana. Marcos Bernardo, Gerente de Contas da Ingram Micro Brasil, explica que, se a operação parasse, por qualquer motivo, poderia fazer com que caminhões e navios saíssem sem carga ou com ela incompleta. Pois eles precisam seguir seus próprios cronogramas e tempo de parada estipulado.

“Às vezes, na venda temos um cenário, mas na prática é sempre uma surpresa sobre como as coisas vão funcionar. Por isso foi preciso acompanhar tudo de perto”, conta Mattiolli. E para garantir que a dinâmica da operação não parasse, o trabalho de modernização aconteceu de acordo com janelas de manutenção muito bem planejadas. Os primeiros que passaram pela atualização foram os ambientes que permitiam paradas operacionais sem causar indisponibilidade para a área final. Depois, foi a vez dos locais mais críticos, que exigiram muita perícia da equipe para serem concluídos com sucesso. “As áreas ficavam parada por algumas horas, nas quais era preciso fazer exatamente o que foi programado. Não havia espaço para erros”, diz Bernardo.

TECNOLOGIA APLICADA

Fabio Gordon, executivo de vendas para plataformas hiperconvergentes da Dell EMC Brasil

Fabio Gordon, executivo de vendas para plataformas hiperconvergentes da Dell EMC Brasil, afirma que a fornecedora disponibilizou dois cluster de hiperconvergência (Vxrail) em dois sites distintos. Ele explica que foi utilizada a tecnologia de stretched cluster para garantir uma operação continuada das aplicações críticas da Brasil Terminal Portuário.

A arquitetura proposta pelo fornecedor levou em consideração as exigências de capacidade e disponibilidade críticas usadas pela BTP.

Principalmente no que se trata de gestão de fluxos de containers para atender as demandas de negócio, bem como atender as expectativas de confiabilidade e segurança. Todo o trabalho e dedicação dos parceiros garantiram o sucesso do projeto. Durante os meses de atualização, o parque de servidores da Brasil Terminal Portuário foi modernizado em diversos aspectos. Segundo Fabiana, as melhorias mais relevantes foram o Stretched Cluster, a ativação automática do ambiente de redundância, a virtualização dos servidores físicos, a criação de um ambiente de hiperconvergência e a redução de quatro para um rack.

IMPACTO NO CLIENTE

“A tecnologia da Dell EMC aplicada junto com a consultoria da EM2, proporcionou ganhos e benefícios em muitos aspectos ao cliente”, diz Mattiolli. Entre eles, além da grande atualização tecnológica, estão menores custos operacionais, a eficácia energética, redução de footprint, ganho de performance, continuidade de negócios e alta disponibilidade, simplificação de gerenciamento e administração e proteção de investimento.

A modernização do Data Center reforçou o compromisso da Brasil Terminal Portuário com a satisfação de seus clientes, ao garantir a qualidade de seus serviços e o padrão de excelência em todos os aspectos do negócio. O porta-voz da EM2 lembra que o TI é o coração da operação, é ela quem faz tudo funcionar. Por isso, ter um parque de servidores moderno dá muita segurança, além de garantir que tudo funcione apesar das circunstâncias. “Com todo este trabalho trouxemos o cliente para o mais alto patamar da nova geração de tecnologia: a hiperconvergência”, diz.

“A infraestrutura hiperconvergente tem sido a opção das empresas que estão transformando a TI para simplificar a administração e alcançar o melhor desempenho”, conta Gordon. O porta-voz diz que as soluções trouxeram mais capacidade de gerenciamento, desempenho e processamento, o que permite escalar conforme a necessidade da empresa. “Como resultado, a BTP conta com mais agilidade para rodar as aplicações de negócios. O que impacta positivamente na produtividade, na operacionalização e no fluxo dos contêineres nos terminais”.

De acordo com Fabiana, a atualização do ambiente da BTP trouxe alta disponibilidade. Ela explica que, com isso, foi possível garantir que todas as operações do terminal estejam cobertas e que não haverá falta de tecnologia para os clientes, tanto internos quanto externos.

Este case foi produzido pela Ingram Micro Brasil e veiculado na 7ª Edição – Ano 3 da revista IM Magazine.